Em Festa Itú /SP

Antonella e Vittório (1 ano)


Quando a Laurinha era pequena e me vinha correndo aos prantos apontando para um machucado que acabara de fazer porque havia caído,

eu dava logo um longo beijo delicadamente anti-inflamatório,

ah! aquele beijo curava tudo...

e o choro logo passava,


Quando as vezes acontecia de ser um machucado maior,

Ela já crescida me perguntava se iria deixar marcas

e eu dizia que não sabia dizer naquela hora,

mas que ainda se deixasse, logo adiante, ela teria histórias para contar

porque as marcas não há deixariam esquecer 

e que ainda assim seria muito incrível ter histórias para contar

que a coisa mais sem graça é quando a gente não tem história nenhuma pra dizer 


Depois de um tempo, agora um pouco mais crescida,

ela vem me contar as histórias que a marcaram

e a gente revive junto <3